Música - Carlos Fernando

TEMPO FOLIÃO

Asas, asas, asas, asas
America, america
Frev, frevo
Tempo, tempo foilão
Canta canta coração
Que a beleza total
Vem de dentro da gente
Como um filho, como um beijo
Feito o sopro de uma canção
Que de repente voce canta
Tão de repente voce ama
Tão de repente voce espanta a dor
Do universo do seu porão
Coração
Por isso canta canta canta
Por isso canta coração
Por isso canta canta canta
Por tudo isso coração

Frevo rasgado

Foi quando topei com você
Que a coisa virou confusão
No salão
Porque parei, procurei
Não encontrei
Nem mais um sinal de emoção
Em seu olhar
Aí eu me desesperei
E a coisa virou confusão
No salão
Porque lembrei
Do seu sorriso aberto
Que era tão perto, que era tão perto
Em um carnaval que passou
Porque lembrei
Que esse frevo rasgado
Foi naquele tempo passado
O frevo que você gostou
E dançou e pulou
Foi quando topei com você
Que a coisa virou confusão
No salão
Porque parei, procurei
Não encontrei
Nem mais um sinal de emoção
Em seu olhar

A coisa virou confusão
Sem briga, sem nada demais
No salão
Porque a bagunça que eu fiz, machucado
Bagunça que eu fiz tão calado
Foi dentro do meu coração

Porque a bagunça que eu fiz, machucado
Bagunça que eu fiz tão calado
Foi dentro do meu coração

Me Segura Se Não Eu Caio

Nos quatro cantos cheguei
E todo mundo chegou
Descendo ladeira, fazendo poeira
Puxando calor (BIS)

E na mistura colorida da massa
Fui bater na praça a todo vapor
Me descampei passando pelos bares
Cheirei a menina e voei pelos ares
No pique do frevo, caí como um raio
Me segura senão eu caio, Me segura senão eu caio
Me segura senão eu caio, Me segura senão eu caio
Comentários